23 de mar de 2010

Sortuda - o amor tricolor

Sortuda foi nossa segunda menina.

Não cresceu muito devido à desnutrição que sofreu nas ruas. Nunca soubemos ao certo qual era a sua idade.

Chegou em nossa casa extremamente magra, com infecção nos olhos, infestada de verminoses, pulgas, machucada e faminta.

Não tinha os olhos grandes e bonitos como os de Zazá. Ou o rosto redondo. Tudo nela era pequeno e sofrido.

O rostinho triangular e os olhos meio asiaticos, amarelos. As patinhas, o corpo e a cauda curtas. Somente dias depois, quando a banhei, descobri que a pelagem acizentada era na verdade extremamente branca, fazendo um bonito contraste com as manchas douradas e pretas em seu dorso, orelhas e cauda.

Sortuda sempre foi humilde, até em seus pedidos. Seu miado era rouco, quase inaudivel. Mas ela sabia demonstrar afeição e gratidão. E assim ficou em nossa casa, mesmo minha mãe pedindo que o caseiro a soltasse na rua novamente e ela, aos gritos, voltasse, escalando o muro e mais uma vez ferindo suas patinhas.

Ela nos escolheu. Ela queria nos amar.
Mesmo que demorasse um tempo para entender, acabamos nos apaixonando também.

Sortuda dormia do lado de fora da casa, nas cadeiras do jardim. Zazá não permitia que ela sequer se aproximasse da porta. Era como se dissesse - ja tá deixei ficar, mas o sofá é meu!!

E ela permanecia lá fora, contente. Tinha um prato só seu, comida, carinho e um gramado para descansar.

Com ela aprendi a procurar informações sobre cuidados com gatos. Comprei um livro, que já na epoca, era considerado ultrapassado. Aprendi a dar vermifugo, aplicar colirio e remedio de ouvido. A dar banho corretamente, com calma e sem estressá-la. A fazer uma alimentação balanceada, entre ração umida e seca ( na epoca, a unica ração para gatos facilmente encontrada era a Whiskas ).

Sortuda ficou linda, gordinha. Cresceu um pouco mais, mas ainda era bem menor que Zazá.

Logo depois que Zazá morreu, ela se tornou mãe. 3 gatinhos lindos. Dois brancos como ela ( Faruk e Julia ) e uma escama de tartaruga negra ( Zazá II )

Foi uma otima mãe. Quase os teve no sofá, só de medo de ficar sozinha.
O parto foi tranquilo, graças ao livro, pude ajudá-la a limpá-los e fazê-los respirar corretamente.

Ficava horas no quarto olhando eles dormirem, enquanto mamavam. Continuo com esse habito até hoje.

Além deles, havia 2, um que me fora dado pelo vizinho, por causa da morte de minha gata e outro que meu pai pegou do mercado central, totalmente coberto de pulgas. E ela os adotou também.

Logo depois, mais uma filhotinha de rua se juntou à turma. E Sortuda a adotou também.

De segundo posto, Sortuda se tornou a matriarca de nossa familia, que ao final, possuia 7 gatos.

Quando nos mudamos para um apartamento, tive que me desfazer de todos eles. É uma das coisas que nunca conseguiu se curar em meu coração, mesmo depois de tantos anos.

E ela foi para uma casa onde viveu feliz por aproximadamente 8 anos, até que desapareceu, sem vestigios.

Hoje em dia, a primeira coisa que iria fazer por ela, seria castrá-la. Só Deus sabe quantos filhotes ela trouxe ao mundo.

Mas tenho certeza de que fiz o melhor para que ela tivesse uma vida feliz dentro de minhas possibilidades de adolescente.

Por causa dela, aprendi a amar as gatas tricolores, por tantas vezes rejeitadas por causa de sua pelagem. São gatas doces, tranquilas e amorosas.

Suas manchas eram como ela. Dignas e de uma beleza unica.

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.