21 de dez de 2010

Chuva


Em meu estado chove muito. Nosso inverno é caracterizado por 6 meses de chuva que podem variar entre uma pancada passageira para amenizar o calor da tarde até tempestades de horas a fio, com raios e trovões cruzando a cidade, fazendo com que falte energia, água transbordando nas ruas, invadindo casas e estabelecimentos, causando acidentes no transito e fazendo da vida de todo mundo um inferno.

Se para os seres humanos, com pensamento racional para nos protegermos deste clima, é um suplicio, imagine como os animais, aqueles nascidos e abandonados nas ruas, enfrentam essa situação.

Nossa primeira gata foi encontrada em um dia de chuva. Meu irmão estava saindo do treino de natação com meu pai quando a viram perto do carro, toda encolhinha e molhada, tremendo de frio. Eles se entreolharam e a levaram para casa e durante quase um ano, Zazá ficou protegida contra a chuva que a trouxe para nós, acomodada em nosso sofá, dormindo tranquilamente. Por uma piada de mau gosto do destino também estava chovendo quando ela faleceu.

2010 começou para mim com o resgate do Isaac. No final daquele dia de janeiro emocionalmente estressante para mim e ele, rezei agradecendo, com uma breve chuva própria em meus olhos, no silêncio e escuro do meu quarto, quando vi a tempestade caindo e que iria vitimá-lo se ele não tivesse me encontrado e escolhido.

Quando o Arthur morava lá embaixo a primeira chuva que enfrentou, estava encostadinho na porta do meu prédio, as patinhas debaixo do corpo para aquecer-se, até que comecei a colocá-lo para dentro do salão de festas enquanto esperava a chuva passar para ele voltar ao jardim. E hoje em dia, sempre que chove, eu agradeço por ele estar são e salvo, debaixo de meu teto e das minhas asas, minha cama e carinho sempre a disposição para aquecê-lo.

Infelizmente nossa alegria por alguns se transforma em tristeza pelos outros que não tiveram a mesma sorte e continuam sob a chuva, cansados, famintos, nascendo e morrendo na tempestade e escuridão do abandono e desprezo. Infelizmente a taxa de natalidade e abandono aumenta na época das chuvas, demonstrando a crueldade crescente do ser humano. Não basta não castrar, também é necessário abandonar os animais sob a fúria de uma tempestade.

Eu gostaria de possuir um cobertor bem grande para acolher e abraçar todos aqueles que precisam para que a chuva fosse apenas um som agradável na hora do cochilo, mas infelizmente é impossível. Agradeço por aqueles que através de mim encontraram um lar amoroso e que não mais sentem o pêlo molhado e frio e por seus filhotes não-nascidos que nunca irão experimentar o fechar de olhos e coração das pessoas.

Desejo que em 2011 a chuva nos traga paz. Lave embora a crueldade humana e o sofrimento daqueles que não tem voz. Que as ruas se tornem vazias e que a agua que cai não faça vitimas. Quando as nuvens se dispersarem neste novo ano, flores de bondade não somente para os animais, mas para todos, possam desabrochar e trazer esperança de que, após um caminho de dificuldades, há um arco-íris esperando.

Para meus queridos resgatos ( e aqueles que ajudei de alguma forma ) de 2010, um beijo no coração que sempre pertencerá a eles :)

Isaac ( janeiro ) , Léo e Clara ( fevereiro ) Layla e seus 4 bebês ( março ) , Dalila ( abril ), Chuva e Steve ( agosto ) , Ulisses ( setembro/outubro ) , Victor ( setembro – novembro ) e Amélie ( dezembro )



ame wa itsuka tomu no deshou ka zuibun nagai dakimatsu metai
ame wa doushite boku wo erabu no nige ba nonai boku wo erabu no

Será que essa chuva irá parar algum dia? Estou congelando por tanto tempo...
Por que essa chuva me escolheu? Por que escolheu a mim, alguém que não tem para onde escapar?

kako wo shiri tagaranai hitomi arai nagashi tekureru yubi
yasashii ho haba de iyasu kizuato todoki soude todoka nai kyori

Olhos que não querem lembrar do passado e dedos que conseguem enxugá-lo
As cicatrizes saram lentamente, em uma distancia inatingível que parece estar mais próxima

ame wa tomu kotowo shirazu ni kyou mo ori tsuzuku keredo
sotto sashi dashi ta kasa no naka de atatamo rini yori soi nagara

Hoje a chuva cai novamente, sem sinal de cessar
Enquanto quietamente nos aconchegamos no calor um do outro sob o guarda-chuva que estou segurando

( trechos de RAIN cantada por Sid )

3 comentários:

  1. Chorei!
    Muito lindo seu texto, Otávia.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    passando pra desejar
    Que este Natal seja um momento especial, que Jesus esteja presente em seu coração. Que as palavras pronunciadas por Ele, há dois mil anos, possam encontrar lugar em seu Espírito. Com a simplicidade, o trabalho a confiança em Deus essência dos ensinos de Jesus que o Natal ganhe um novo significado em sua vida. Para que brilhe a Sua luz. Para que você seja aquele que semeia a paz, que vivencia o amor universal. FELIZ NATAL!!!!

    Bjus da Paty e seus Petys

    ResponderExcluir
  3. PASSANDO PARA DESEJAR UM 20011 CHEIO DE MARAVILHAS PARA TODOS !!

    BJUSSSSS

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.