12 de fev de 2011

Preparando o Enxoval!

Se você adquiriu um gatinho, também irá precisar de um enxoval especifico para ajudar a dar as boas-vindas.
Apesar de querermos comprar todas as caminhas, pratinhos e brinquedos lindos do petshop, temos que focar no que é realmente necessário e importante para o filho felino se sentir à vontade em sua nova casa.
Todas as indicações aqui seguem a idéia da GUARDA RESPONSÁVEL e da CRIAÇÃO INDOOR. Gato dentro de casas seguras, sempre!

1-Alimentação



Uma alimentação de qualidade é um importante aspecto para uma vida doméstica feliz. Sendo animais carnívoros, as rações devem possuir altos níveis de proteína bruta. É possível encontrar no mercado rações especificas para idade, raças e até sexo dos animais. Também existem linhas medicamentosas e destinadas à aqueles já castrados. Elas podem ser secas ou úmidas ( encontradas em latas ou sachês )

Em termos de ração seca sempre recomendo rações premium ou super premium ( Royal Canin, Proplan, Golden e Premier são as mais encontradas em petshops ). Rações de supermercado não são indicadas pela quantidade de corantes e matéria-prima de baixa qualidade. Além disso, uma ração premium custa quase o mesmo de uma ração popular, os animais comem menos por se sentirem mais satisfeitos, ficam melhor nutridos, felizes e belos e em conseqüência, a ração rende mais e eles terão menor probabilidade de doenças relacionadas à alimentação.

Até um ano de idade o gatinho deve se alimentar de ração de filhotes que traz nutrientes específicos para um bom desenvolvimento corpóreo. Após um ano de idade, podemos fazer a mudança para ração de adultos. A ração, após aberta, deve ser mantinha em um recipiente fechado, em local seco e sem exposição ao calor e luz solar para evitar deteriorização do alimento.

As rações úmidas são utilizas como complementos em refeições juntamente com as rações secas, atrativos para animais em tratamento e com falta de apetite, para gatos que não gostam de beber água ou como um agrado. *O correto é oferecer a ração seca e a úmida em comedouros separados.

Nos últimos anos também cresceu o número de pessoas que preferem dar a seus animais uma alimentação natural, baseada em carnes e ossos crus, vegetais, óleos e outras complementações nutritivas e balanceadas. A Alimentação Natural é baseada em estudos sérios e exige dedicação mas promete e cumpre ótimos resultados. Para saber mais visite o cachorroverde.

2- Comedouros / Bebedouros




Apesar dos comedouros/bebedouros de plástico serem os mais conhecidos, de preços mais acessíveis e com maiores formatos e cores à disposição, eles não são os mais indicados para gatos ou cães. Com o uso contínuo eles acumulam bactérias, gordura do rosto/pele do animal e restos de comida, se transformam em uma verdadeira cultura de microorganismos nocivos, especialmente sem uma correta higienização dos mesmos entre as refeições, podendo originar a irritante acne felina. Além disso, eles se deterioram com maior rapidez.

*Sempre escolha um comedouro/bebedouro de grande diâmetro. o fato de tocar as vibrissas (bigodes) na borda do vasilhame irrita os gatos, coisa que não acontece com um pratos de diâmetro maior.

Também no cachorroverde existe um material sobre esses utensílios e recomendo a leitura para melhor escolher os pratinhos do felino: http://cachorroverde.com.br/comedouros.php

É importante deixar água limpa e fresca sempre a disposição do animal para prevenir problemas urinários ( ex: cálculos renais, cálculos na uretra ) e retirar a ração não consumida para evitar o amolecimento da mesma, que pode causar gases, cólicas e o aparecimento de insetos.

*Se possível, também adquira uma fonte de água para os gatos. O movimento e som da agua corrente estimula o consumo.

Alguns gatos tem o hábito de puxar a comida para fora do pratinho ( Arthur! ), então um tapete lavável de borracha também pode fazer parte do enxoval.

Prefira comedouros e bebedouros individuais ( uma tigela para cada ) , mantendo-os em uma distancia de aproximadamente 20cms para que não corra o risco do gatinho jogar ração na agua ou molhar a ração ao brincar com a agua no bebedouro.

3- Caixa de Areia



Enterrar os excrementos é um comportamento natural dos felinos domésticos, ensinado pela mãe assim que os filhotes começam a andar.

Item essencial, a caixa de areia deve ser bem escolhida, assim como a areia a ser utilizada nela para dar ao animal uma sensação de segurança e conforto para que ele aceite a caixa e não dê trabalho para usar o banheiro. Também é necessário adquirir uma pázinha para a retirada dos dejetos. Aqui em casa utilizo duas, uma fechada para retirar os torrões de urina e uma aberta para as fezes.

A caixa deve respeitar a idade e tamanho do animal. Caixas plásticas brancas comuns podem ser utilizadas nos primeiros meses por causa de sua baixa altura permitindo que filhotes a partir de 2 meses possam utilizá-la. Nesse primeiro momento de treinamento para bebês pequenos, é importante deixar a caixa na área em que há a caminha e os comedouros, em uma distância adequada.

Quando o filhote tornar o uso da caixa um hábito, podemos aumentar a distância entre o banheiro e os outros objetos, de acordo com o crescimento do gatinho. Próximo aos 5 meses é recomendado trocá-la por uma de tamanho e bordas mais altas para evitar que a areia seja jogada para fora da caixa e colocá-la em um local de fácil acesso, calmo e sossegado.

No caso do Arthur, meu quarto é uma suíte, a caixinha de areia dele fica em meu banheiro e desde que chegou ele NUNCA fez suas necessidades em local errado. A primeira caixa de areia dele, comprada de emergência era uma de filhotes e ele espalhava areia ao redor. A segunda, foi uma banheira de bebê e agora ele tem uma caixa branca de plástico, grande.

Gatos se sentem desconfortáveis em uma caixa pequena demais, onde não possam se movimentar direito e podem parar de utilizá-la. O ideal é que seja possível entrar e sair sem problemas, que a caixa seja um pouco maior que o comprimento do animal e um palmo de altura e, em caso de mais um gato na casa, que cada um tenha sua própria caixinha.

Existem diversos tipos de areia higiênica no mercado, com diversas composições e preços. Não é necessário investir na areia mais cara, mas é bom pesquisar e tentar se informar com outros donos sobre a capacidade de absorção da urina e formação dos torrões e controle de odores. Aqui em casa usamos a PipiCat Floral.

É muito importante retirar os dejetos e repor a areia suja após a caixa ser utilizada e lavar a caixa pelo menos uma vez por semana. Gatos são animais muito limpos e não irão usar uma caixa suja ou com mau cheiro. A recusa em utilizar o banheiro pode criar problemas de saúde, como cálculos na uretra e renais e até prolapso de reto.

4- Caixa de Transporte




Mesmo que seu gato não saia de casa, é essencial possuir uma caixa de transporte no caso de emergências. Gatos doentes ou com algum tipo de trauma, especialmente aqueles que não tem contato com o exterior, se tornam verdadeiras feras, podendo machucar os donos e fugir se não estiverem seguros.

Há varias opções no mercado de tamanho e marcas, mas o ideal é que o animal possa dar uma volta completa dentro da caixa de transporte e que ela seja de material plástico e facilmente lavável.

5- Arranhador

Quando o Arthur chegou das ruas, uma das minhas – inúmeras - preocupações seria a possível destruição dos moveis da casa. Logo nos primeiros dias ele escolheu a parte de trás da minha cadeira do computador, de plástico sanfonado e tem afiado as suas unhas ali desde então sem maiores danos para o resto do apartamento.

Uma coisa a ser considerada ao comprarmos um arranhador é o tipo de arranhadura que o gato prefere. Há felinos que arranham ficando de pé, outros, de quatro e há até aqueles que preferem se deitar e arranhar algo com as pernas traseiras e dianteiras.

Devemos levar isso em consideração ao escolhermos o tipo de arranhador sob o risco do mesmo ser sumariamente ignorado.

O treino para o arranhador pode iniciar assim que o gatinho tem 2 meses de idade e já possui total controle de seus movimentos. Nessa idade eles já pulam, tentam escalar as coisas e brincam muito. 

Faça com que o arranhador se torne interessante, o atraia com brinquedos, peninhas ou catnip para que ele usa as unhas ao tentar agarrá-los e sentir que é agradável fazê-lo ali.

Podemos encontrar desde os modelos mais simples, como os em formato de poste, como os mais altos e interessantes, que além dos postes, possuem plataformas, tocas e outros brinquedos para entreter o gatinho.

6- Cama



Gatos gostam de dormir em nossa cama, mas também é importante que tenham um cantinho somente deles. Uma otima opção são caixas de transporte com uma manta, pois gatos naturalmente preferem "tocas" para dormir. 

Opte por camas de espuma de alta densidade, sem botões, fios ou outros elementos que possam ser arrancados e engolidos. O Arthur, ao contrário de outros gatos, não gosta de dormir enroladinho, preferindo se esticar todo e deixar a barriga à mostra. Escolho o tamanho G, sempre.

Não é necessário lavar semanalmente a cama do seu animal, nem recomendado pois os cheiros novos pode fazer com que ele não mais a utilize. Coloque a cama para pegar sol todas as manhãs para evitar bolores e o cheiro de mofo, especialmente nas estações chuvosas.
Ao trocar de cama ou colchonete, se estiverem em bom estado, lave-as e as doe.
Há sempre um protetor com um peludo esperando um local gostoso para se deitar.

7- Coleira e Placa de Identificação



Coleiras em gatos é um pouco polêmico. Há pessoas como eu, que acham de extrema importancia, mas também há aqueles que contam casos de como o animal quase morreu enforcado ou até mesmo, infelizmente, faleceu ao usar uma coleira. Até hoje nunca presenciei uma fatalidade dessas mas geralmente explico que isso se deve à falta de produtos de materiais próprios para os gatos até pouco tempo em nosso mercado.

A coleira juntamente com a placa de identificação ( com o nome do animal e seu telefone ) podem se tornar uma poderosa ferramenta em caso de fugas acidentais em cidades que não possuem tatuagem nas orelhas, registro geral e/ou microchips nos animais.

Meus gatos sempre utilizaram coleiras e os resgates são entregues com elas também.
As coleiras para gatos devem ser de material inteiramente elástico , flexível e leve, para que o gato consiga se livrar ao ficar preso. Há também pessoas que dizem que seus animais não usam coleira e plaquinha por ficarem estressados, mas tudo é uma questão de treinamento. Se você tirar a coleira vez que o animal fica interessado e tenta brincar ou se livrar dela, ele nunca irá se acostumar. Geralmente quando o gato percebe que aquilo no pescoço não é nada demais, o interesse acaba e ele deixa a coleira em paz.

8- Escova para Pêlos


Gatos passam horas de seus dias imersos no asseio pessoal. Esses hábitos de auto-grooming também são ensinados pela mãe desde a tenra idade. Serve para fazer a manutenção dos pêlos e pele, como um passatempo relaxante e até mesmo para reforçar relações sociais entre dois ou mais indivíduos de uma mesma casa.

Mas, ao se lamberem, os gatos ingerem quantidades de pêlos mortos que vão acumulando em seu estômago até que sejam expelidos pelo vomito ou fezes.

A escovação diária ajuda a eliminar os pêlos mortos, evita obstrução do estômago e/ou intestino, relaxa o animal e também reforça os laços entre o dono e o gatinho. Em gatos de pêlo longo ou semi-longo a escovação e vistoria dos pêlos deve ser ainda mais minuciosa para evitar e prevenir nós e infecções de pele. Prefiro as escovas com proteção nas pontas das cerdas, para não correr o risco de machucar o bichinho e fazê-lo rejeitar a escovação.

O Arthur é um gato que não consegue vomitar bolas de pêlo. Ele tosse, tosse e nada acontece. Para piorar a situação ele não permite ser escovado então a única forma que tenho de ajudá-lo é com carinhos vigorosos e banhos mensais.

Algumas rações prometem ajudar com a eliminação de bolas de pêlo e existe até mesmo a Hairball da Royal Canin como ração especifica para os casos mais graves.

Plantar alpiste, trigo e/ou milho e oferecer os brotos tenros e verdes também é uma ótima pedida para auxiliar na eliminação das bolas de pêlo.

9- Brinquedos


Gatos são animais muito felizes e fáceis de agradar. Praticamente qualquer coisa, você querendo ou não, se torna um brinquedo.

Pode ser uma bola de papel ou um ratinho com catnip ou até mesmo um barbante. Tudo o que se mexe e pode ser perseguido colocando em pratica os fortes instintos do pequeno caçador domestico é interessante o suficiente.

Os cuidados ao adquirir um brinquedo devem ser os mesmos para uma criança pequena. Solta tinta? Solta pedaços? É facilmente destruído e pode ser engolido?

Sempre tome cuidado para que brincadeiras com fios sejam supervisionadas para que não corra o risco do gatinho engolir o barbante.
Gatos também adoram caixas onde podem se esconder, tirar uma soneca e brincar de dar bote nos donos ou nos irmãos felinos.

Além desses investimentos materiais, atenção, disciplina, carinho e paciência também são fundamentais para uma adaptação tranqüila e convivência harmoniosa do animal à nova casa.
*Informações complementares do Dr.Jairo Ferreira ( Médico Veterinário ) - Muito obrigada! :)
Livros recomendados para melhor entender e cuidar do seu gatinho:
If Your Cat Could Talk ( em inglês ) , do Dr.Bruce Fogle
Como Cuidar Bem do Seu Gato, guia pratico de cuidados essenciais para gatos ( Andrew Edney, RSPCA )

9 comentários:

  1. Otávia
    Vc praticamente desenhou aqui algumas coias importantes prara a saúde e o bem estar do animal. É uma ótima fonte de consulta para pais/mães de primeira viagem...
    Lindo blog

    ResponderExcluir
  2. Excelente esse enxoval e os comentários sobre as preferências do lindão Arthur. As minhas gatas são muito simples, nunca comprei caminhas para elas porque uma dorme comigo e a outra no sofá/cadeira/mesa...caixa...
    Quanto ao arranhador comprei um uma vez que jamais foi usado, elas preferem os móveis mesmo que levem bronca. A escovação acho que deve ser como fazer carinho e acostumar a escová-los desde o começo, mas realmente alguns não permitem mesmo.
    As fotos do Arthur são sempre lindas, ele é um gato maravilhoso !
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  3. Muito bem elaborado o post! Vc me disse que comprou o tunel para seu gato...onde comprou e de quanto? Pq não vende para as gateiras. Conheço pessoas que se interessariam por tunel..pq vc disse que ainda estava pagando né?!

    ResponderExcluir
  4. Gostei do post...
    Mais uma dica sobre bebedouros e comedouros:
    sempre escolha um comedouro/bebedoouro de grande diâmetro. o fato de tocar as vibrissas (bigodes) na borda do vasilhame irrita os gatos, coisa que não acontece com um comedouro de diâmetro maior. outro detalhe é que, se possível, compre uma fonte para o seu gato...

    Sobre a alimentação úmida, o correto é oferecer a ração seca e a úmida em comedouros separados...

    ResponderExcluir
  5. Post excelente!! Vou adicionar aos meus favoritos!

    ResponderExcluir
  6. Olha!!! Tá muito legal esse teu post! Vou linkar no nosso blog da lista gatos com créditos!!!
    Um beijinho e parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Ah! Olha lá -> http://listagatos.wordpress.com/2011/02/16/novo-bigode-em-casa/

    Beijoca

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo blog.Estou aprendendo muito.Adotei uma gata de rua e quero poder cuidar bem dela,além de dar muito amor.E pra isto conhecimento e informação é fundamental.Muito obrigado e tudo de bom.

    ResponderExcluir
  9. Tava procurando e precisando de um post como esse!
    Ontem mesmo estava pesquisando: o que preciso comprar para o meu gato?, não achei muita coisa, e agora me deparo com essas dicas completas!
    Meu futuro bichano por mais boa que seja a caminha, ele prefere dormir na terra, em cima do muro ou no tapete. Estou fazendo uma caminha mais confortável pra ele, espero que ele goste. Também estou juntando aquelas caixas de leite grandes para montar um circuitozinho de túnel pra ele, agora brinquedos não consegui despertar o interesse dele por nada! =/

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.