11 de mar de 2011

Entrevista! :)


Tive a idéia de fazer uma entrevista com dois médicos veterinários em minha cidade, em suas realidades ( atendimento em clinicas particulares e atendimento à domicilio ) para mostrar as principais diferenças nos cuidados e perfil dos gatos e responsáveis :)

Minha primeira entrevistada foi a Drª. Alberluce Castro :)


1- A quanto tempo exerce medicina veterinária?
4 anos.

2- Qual sua área de atuação e por que a escolheu?

Consulta de pequenos animais (cães e gatos) à domicilio e cirurgias. Escolhi essa área por afinidade.

3- Em média, qual seria o seu percentual de pacientes felinos mensalmente? Em sua maioria são animais de raça pura ou SRD’S?
Atendo somente nos finais de semana, então é um numero bem variável. Há meses em que chego a atender 10 animais, outros meses somente 4. Normalmente meus pacientes são gatos SRD’s.

4- Quantos desses gatos possuem donos que praticam a guarda responsável? (Animais castrados, que recebem ração de qualidade, atendimento veterinário periodico e criação indoor?)

Sempre que atendo um novo paciente, conscientizo os responsáveis e convenço-os a praticar a guarda responsável. Os que não o faziam, era por pura falta de informação. Raros foram os casos dos donos que não mudaram seu comportamento.

5- Para aqueles donos que ainda não praticam a guarda responsável, quais são os seus métodos para a conscientização (principalmente quanto à castração, que possui maiores índices de rejeição e preconceito ) ?

Através de uma conversa amigável falo sobre os benefícios da castração, além de relatar casos de gatos machucados por brigas com outros, envenenamento, atropelamentos e doenças por contato, como problemas de pele e viroses.

6- Tem conseguido resultados positivos com sua abordagem? Quantos donos, em média, já conseguiu conscientizar?

Normalmente consigo resultados positivos, não sei quantos já conscientizei porque faço isso desde a faculdade, talvez 50 pessoas.

7- Os brasileiros têm uma grande rejeição quanto a cuidados médicos preventivos. Na sua opinião, os donos de gatos também possuem esse comportamento?

Infelizmente sim, as pessoas acham que só se busca atendimento veterinário quando o anim
al tem algum problema, alteração, machucado e não é assim, tento convencê-los que a prevenção é mais barata e evita maiores sofrimentos ao animal.

8- Entre os gatos de raça pura e os SRD’s, a qual grupo é dado maiores investimentos veterinários por parte dos donos?

Acredito que não importa a raça e sim o amor e carinho dedicado ao animal, sei de pessoas que compraram animais caros e sequer vacinam e outras que gastariam o que tem e o que não tem pra salvar seu “vira-lata”.

9- Quais seus principais casos clínicos e cirúrgicos em felinos?
Desses casos, quantos são de gatos que os donos não praticam guarda responsável ?

Há casos clínicos diversos, como animais com SUF ( Sindrome Urinária Felina ), verminoses, sarna, ferimentos ocasionados por brigas por território e fugas para reproduzir e a maioria deles são animais não-castrados. Além disso, há muitos problemas comportamentais como marcação de território e agressividade por parte dos machos, que normalmente são resolvidos com castração.

Meus casos cirúrgicos são em sua grande maioria castrações e esterilizações de machos e fêmeas.

10- Qual o caso mais bem sucedido, envolvendo gatos, que já atendeu?

Um gato de rua que estava doente e ferido, duas vizinhas pediram que eu fosse “olhá-lo”, encontrava-se bem machucado por brigas e com problemas respiratórios, inclusive com dificuldade em respirar. Não cobrei nada e elas compraram a medicação para que eu administrasse, após o tratamento, uma delas o adotou. Convenci a mesma a castrá-lo, depois da castração, vermifugação e vacinação, o mesmo ficou lindo, gordo e saudável, além de muito mimado pela nova família.

11- E qual o óbito que mais lhe marcou?

Meu único paciente felino que veio a óbito foi uma persa em que foi feita ovariosalpingohisterectomia, teve deiscência de sutura, tudo resolvido. Após um mês, coincidentemente ela teve vólvulo intestinal (a alça intestinal deu um nó em torno de si mesma e necrosou), ela não estava se alimentando e os donos não me comunicaram, foi submetida a cirurgia, mas como estava muito debilitada veio a óbito dias depois.

12- Qual sua reação diante de um dono que, mesmo pondo a vida de um animal em risco, recusa-se a custear o tratamento?

Primeiramente revolta, pra quê ter animal se não quer gastar com ele? Sempre reduzo muito os preços para que os proprietário de baixa renda possam custear o tratamento, já forneci medicamentos e fiz tratamento de graça pelo animal, mas é sempre complicado testemunhar um dono que não se importa com o seu sofrimento.

13- Já denunciou ou quis denunciar algum dono por maus-tratos a seu animal? Qual a ocasião?


Felizmente nunca meus clientes, mas já quis denunciar uma pessoa que não conheço (no bairro) por achar que os animais são colocados numa situação de maus-tratos. Existem pessoas que pegam um animal, acorrentam e o mantém em casa, magro, com verminoses e sem acompanhamento veterinário, só colocando agua e comida e acreditando que é o suficiente. E o pior é que o animal não tem como se defender.

14- Como foi sua preparação durante os anos de faculdade para lidar com felinos? Os professores foram satisfatórios em repassar conhe
cimentos específicos para o trato de gatos?

Infelizmente quem quer lidar com felinos tem que ser autodidata, pois na faculdade não se vê muita coisa em relação a eles, os professores não sabem ou não gostam, com raras exceções. Deveria, inclusive, ter uma disciplina exclusiva para felinos, optativa.

15- Várias pesquisas já apontaram que o Brasil está seguindo a tendência de países como o Japão e Inglaterra, onde os gatos são maioria em numero de animais de estimação e clinicas somente para gatos já é uma realidade em nosso país, assim como uma classe médica especializada para estes pacientes. Na sua opinião, a classe médica veterinária de São Luís é preparada para prestar atendimento de qualidade aos felinos ( levando em consideração suas particularidades e seus proprietários ) ?


Sei que no Brasil existem clínicas só para gatos, mas não em São Luís. O contigente maior ainda é de cães, o que dá maiores lucros para as clínicas. Não posso falar pelos outros, mas tento prestar atendimento de qualidade aos felinos, acredito que quando se gosta é mais fácil!

16- Qual sua opinião quanto aos protetores? Em média, quantos animais resgatados e para adoção atende por mês?

Adoro e admiro qualquer trabalho que envolva o bem dos animais, sei o quanto é difícil, trabalhoso e caro ajudar. Sempre tento participar como posso com cirurgias e vacinações quase a preço de custo. A quantidade de animais para adoção que são atendidos por mim também é muito variável.

17- Oferece seus serviços e conhecimento para a causa de proteção animal? De que forma?


Sempre ofereço meus conhecimentos a quem me procura. Quantos aos serviços, ofereço preços mais baixos para quem precisa, aos protetores e aos proprietários responsáveis que, mesmo humildes, tentam cuidar bem de seus animais.

18- Em sua opinião, quais as principais vantagens de adotar um gato de um protetor?

Os gatos resgatados geralmente vieram de uma situação de abandono, descaso e crueldade. Ao adotar um deles você recebe um animal que precisa de você, vai ajudá-lo a ter um lar e ele irá retribuir com muito carinho e lealdade. E protetores sérios normalmente entregam animais castrados, vermifugados e com as primeiras vacinas.

Drª. Alberluce e Ulisses

19- Deixe uma mensagem para uma pessoa que deseja adotar seu primeiro gatinho.

Gatos são seres adoráveis, inigualáveis e esplêndidos. Sou suspeita pra falar porque sou adoradora e admiradora deles, tenho três ( Timbu e Lili, resgatados da rua ainda filhotes e Snarff ) e não os trocaria por nada nesse mundo. Se cuidados com responsabilidade, esterilizados e criados sem acesso às ruas são animais saudáveis, educados, que dão pouco trabalho e despesas pois raramente ficam doentes. São mais independentes do que os cães, mas igualmente ou mais carinhosos, ou seja, são ótimas companhias.




2 comentários:

  1. Amei sua entrevista.
    Adorei os gatinhos e gatinhas da Dra.
    Que Deus abençoe muito a Dra. Alberluce, que através de suas mãos e de seu conhecimento e generosidade, consiga ajudar a aliviar o sofrimento e salvar muitas vidas felinas, caninas, enfim...
    Beijos, tenham um lindo final de semana, Toca dos Gatos.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.