12 de jun de 2011

Meu coração prestes a se partir

Hoje o Arthur ficou doente.

A ultima vez que chorei por ele foi quando ainda morava nos jardins do prédio e amanheceu um dia quase sem movimentos. Me culpei por tê-lo deixado morar lá, a mercê de acidentes e/ou crueldade humana. Juntos e com a ajuda de sua veterinária conseguimos driblar esse problema que quase lhe tirou os movimentos das patas traseiras.

O Arthur tem quase 5 anos e hoje pela primeira vez ele foi a um hospital veterinário, como paciente da emergência.

Ontem ele - tambem pela primeira vez - vomitou bolas de pêlo. Algo tão comum para a maioria dos gatos, ele não conseguia fazer. À noite quando retornei do meu passeio com a Milla ele estava ofegante, quietinho e quente deitado no sofá. Pensei que podia ter sido pelo esforço e mal estar que o vomito pode ter causado, liguei para a veterinária dele e ela concordou, esperando até o dia seguinte por uma melhora.

A melhora não veio. Ele usou o banheiro, tomou o café da manhã, mas a respiração pesada e forçada continuava, assim como uma moleza crescente. Às 13:00 o Arthur não conseguia mais erguer a cabeça ou abrir os olhos direito.

E eu me desesperei. Minha mãe - que é médica - o auscultou e disse que havia um barulho estranho em seus pulmões. E não, não era um ronronado pois o Arthur não ronrona. Ele estava quente e desconfortável e com o coraçãozinho acelerado.

Liguei para a veterinária dele, que estava do outro lado da cidade e não poderia vir. Mas pediu para tirar um raio-x e levá-lo para um atendimento emergencial.

Comecei a ligar para as 2 clinicas veterinárias de emergência em minha cidade - a terceira é um nojo, não gosto dos profissionais, seria somente o ultimo dos últimos casos - um deles, mesmo com atendimento 24hrs, o raio-x não funcionava e a outra não haveria ninguém para dar o laudo e a veterinária estava ocupada e só ficaria livre daqui a uma hora, de acordo com a secretária.

A essa hora eu já havia começado a chorar. O Arthur sempre foi o meu calcanhar de Aquiles, o meu coração exposto e aberto no peito. Minha mãe já também desesperada, decidimos levá-lo a essa clinica, independente da espera.

Peguei a caixa de transporte grande de minha vizinha - já que ele não cabe nas normais - e isso já foi o bastante para que meu choro se juntasse ao dele, que após tantos anos nunca mais havia saído de casa. Quando cheguei lá embaixo ele miava de um jeito tão sofrido, tão assustado e eu entrei no carro chorando, querendo de alguma forma confortá-lo e sem conseguir.

Eu que cuidei de tantos, que escolhi cuidar de tantos pela força que o Arthur me deu não fui capaz de poupá-lo daquela situação.

Cheguei a clinica, pedi pelo raio-x, tiveram que chamar o técnico pois ele não estava no local ( apesar de ser 24hrs ). A veterinária de plantão nos atendeu muito bem, no momento o Arthur estava com 40 graus de febre. Ela novamente ouviu seus pulmões e coração, fez perguntas sobre a vida que ele tinha e eu ficava me perguntando - entre a raiva de mim mesma, da situação, do desespero do meu filho que estava se aconchegando aos meus braços, procurando conforto e até dos cães que latiam incessantemente, estressando-o ainda mais - como um gato criado indoor, com acompanhamento veterinário, com ração de qualidade, poderia estar naquela situação?

O técnico do raio-x chegou e percebi sua irritação quando disse que ele havia acabado de receber a medicação e a veterinária havia pedido para esperar um pouco. Disse que o Arthur tinha trauma de homens e por isso eu iria segurá-lo. Chegamos a sala do raio-x, a mesa do aparelho IMUNDA, pedi para uma funcionária da clinica limpar e ela disse que o técnico o faria.

Pedi para o técnico e ele não o fez. Diante de sua postura vi que o melhor era engolir a minha raiva e fazer com que aquele exame acontecesse o mais rápido possivel. Contrariando o meu pedido o técnico segurou o Arthur como um porco. Eu seguro animais para procedimentos, já fiz isso com cavalos até, não tenho pena e não sou fresca, mas o toque dele fez com que o Arthur se desesperasse mais ainda, chegando a colocar a língua para fora e gritar, desesperado, subindo em meus ombros, em busca de conforto.

Depois de todo esse stress, ninguém viu o raio-x dele sequer. Reclamei do tratamento do técnico do raio-x , a moça pediu para que eu me sentasse e eu disse que não queria, que queria ir embora o mais rapido possivel com o meu filho. A veterinária retornou e disse que para melhor avaliar a causa da febre ele deveria fazer um hemograma - que irei providenciar amanhã - e também buscar erliquiose ( doença causada por carrapatos, muito comum em cavalos e cães )

Eu paguei a conta e trouxe o meu filho para casa.

Cheguei em casa, o soltei no quarto dos avós que vieram recepcioná-lo felizes e preocupados. Olharam o raio-x e não constataram nada de errado, mas médico de gente não é médico veterinário e amanhã irei buscar o laudo.

Meu pai e a veterinária dele concordam na possibilidade dele ter aspirado algo, que gerou o desconforto e a febre. A temperatura está normal. A respiração está se normalizando também, ele está ativo, comeu e já bebeu água e vejo o meu Arthur, o meu filho feliz e brincalhão de volta.

A veterinária dele ligou novamente e disse que se a respiração se regularizar amanhã que podemos fazer o resto da medicação oral, para não estressá-lo mais ainda.

Meu filho sempre tão bem cuidado, nas mãos de uma pessoa que não se importava com ele, que não lhe deu nem o direito de uma mesa de exames limpa.

Espero que o Arthur NUNCA MAIS precise ir até uma clinica veterinária em minha cidade.

Eu daria a ele meu sangue se necessário. Não admito que alguém se meta para lidar com animais e não tenha o minimo de dignidade para com eles. Eu que já peguei coices, mordidas de cavalo, gatos e cães, que já peguei arranhões mantenho com eles o mesmo tratamento que daria a mim mesma.

Pessoas podem falar e descrever suas dores, animais não. E por isso temos que ser ainda mais gentis e humanos por essas pequenas vidas que não podem ajudar a si mesmas.

Hoje meu coração esteve prestes a se partir.

Hoje eu senti mais uma vez aquela dor que as mães sentem quando se dão conta que nem todo o amor em seu peito são capazes de proteger seus amores por completo das mazelas do mundo.

Meu filho já está melhor. E eu espero que continue assim.

Meu coração que já se repartiu por tantos outros tantas vezes pode quebrar-se incontavelmente por outros.

Mas pelo Arthur, pelo meu amor maior, pelo meu filho unico e insubstituivel, a dor dele é 1000 vezes maior por ele e por mim.

O ar que fugiu dos pulmões dele também escapou em mim, pois ele é o meu ar.

Pode parecer exagero, mas somente nós sabemos do que o Arthur me salvou no dia em que nossos olhos se encontraram a quase 5 anos atrás.

E eu irei, sem pensar duas vezes, fazer tudo o possivel para anular os males e dores que possam infligir a minha criança.

15 comentários:

  1. Que lindo texto e que linda sua dedicação com seu filho de 4 patas. Seria tão maravilhoso se todo mundo se importasse assim com seus animais... Parabéns! E, melhoras pro Arthur *-*

    ResponderExcluir
  2. Sei bem que não é exagero, Otávia! Fico assim cada vez que minhas "criaças" Têm qualquer problema.

    ResponderExcluir
  3. Olha Otávia,eu desejo o melhor pra vc e pra o Arthur.Só sabe o que é sofrer,quem tem sentimentos e quem se importa com seus amigos animais.
    Tenho uma opinião cada vez mais consolidada que A GRANDE MAIORIA DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE não exerçe a profissão por uma real vocação,seja profissionais na área de saúde humana ou veterinária.A Medicina virou um comércio,só que o material de trabalho da área de Saúde é o mais precioso que existe:a vida.
    Infelizmente,a maioria das pessoas que está nessa área o faz,não por uma vocação ou desejo de minorar o sofrimento das pessoas ou animais(o que eu acho que deveria ser o norte,o motivo principal para atuar nesta área).Estas pessoas atuam na área de Saúde porque tem trabalho,dá "status",dá dinheiro.Não estou dizendo com isso que todos sejam assim,mas quantos já não foram a um médico e nem sequer foram olhados nos olhos,após esperar uma consulta por meses e isto não falando nem da área de saúde pública,onde a pessoa é tratada feito um lixo.Apesar dos impostos que todos pagam.
    Há tantas outras profissões por aí,há concursos pra ser funcionário público,se é pra roubar as pessoas porque não entram pra política.Oportunidades é que não devem faltar.Deixem a área de saúde para as pessoas que têm AMOR NO CORAÇÃO,que se importam e respeitam o sofrimento alheio,seja ele humano ou animal,como vc mesma disse que merece uma atenção ainda maior,pois não podem se expressar.
    O pouco do que lhe conheço,a ajuda que vc me deu,quando precisei lá de ajuda na comunidade no orkut,Otávia é que vc é uma pessoa boa,sincera e que ajuda de coração.Nem vc,seu gato ou qualquer ser vivo merece ser tratado do jeito que foram,mas esta infelizmente foi a sua experiência.E acredite há pessoas que passam coisas muito pior.
    Mas sou solidário totalmente a vc e ao Artur e peço a Deus do fundo do coração que os ajude,e vou orar por vocês dois pra que tudo fique bem.Não fique se culpando ou torturando Otávia,era dia de domingo e vc sabe,o Artur sabe,que vc sempre fez,faz e fará o seu melhor pelo bem estar dele.
    O sofrimento,a doença,tanto para homens como animais faz parte da condição de estar nesse corpo material.O QUE IMPORTA É QUE VC SEMPRE FEZ E FAZ A SUA PARTE.E ACREDITE:O ARTUR SABE DISSO.
    Procure se fortalecer com algo que te faça bem,se vc acreditar,faça uma oração,peça forças a Deus,ao Universo,ao que vc acreditar e tenha certeza:esta força virá.Pois Deus está em ti.E onde há o amor,Ele está presente.Conte comigo e ,se quiser,pode me procurar.Desejo melhoras pra o Artur e paz,forças e coragem pra vc.Acredite,estas pessoas que trataram o Artur mal,um dia vão colher sua semeadura."Porque somos livres pra plantar,mas somos escravos da colheita".Não deseje mal a ninguém,pois o Universo tem leis sábias e se essas pessoas soubessem o que acontece a quem faz mal a animais...é pior do que acontece a um ser humano.
    Porque escapar da "justiça humana" é fácil,basta ter dinheiro,boas relações.Mas não há como escapar da Lei da Causa e Efeito.É a Lei da Ação e Reação.Se quiser entrar em contato comigo meu e-mail é:sergiopaffer.reiki@yahoo.com.br.
    Fica na Luz e na Paz.Você e o Artur.Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Como mãe de gatos (e cães também) entendo tudo que sentiste. Estou orando a São Chico para que tudo não tenha passado de um grande susto e que ele fique totalmente bem logo.

    ResponderExcluir
  5. Otávia, entendo tão bem o q vc sente... E sei q todas as palavras do mundo não poderiam te consolar... Então, só te desejo força e fé pra enfrentar estas situações (que, espero, não se repitam). Artur vai fik bem!!!!!!! Eu e Michaela estamos orando por ele!

    ResponderExcluir
  6. Eu tb te entendo TOTALMENTE e sou solidária ao seu amor e sua dor! Eu sofro cada dor deles em dobro, e mesmo sendo criticada não ligo e sigo sendo essa mãe judia e exagerada!

    QUe bom que o Arthur está bem!

    Um beijo grande pra vc e pra ele!

    ResponderExcluir
  7. Sei exatamente como vc se sente! Eu perdi um "filho" recentemente e só de ler a sua história parce que todo o desespero que senti com meu filho voltou...
    Que bom que seu Arthur está melhor!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Boas melhoras para o Arthur ! As pessoas são muito insensíveis ao sofrimento alheio, mas esse "profissional" realmente deve ser um estúpido. Será que ele não percebeu sua preocupação ? As minhas gatas também têm muito medo de homem (o meu próprio marido é bravo com elas) e por isso entendo o medo do Arthur. Eu acho que você deveria reclamar ao menos para a vigilância sanitária !
    Espero que ele se recupere só com os remédios via oral e continue lindo como sempre !
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  9. ô pecado, contigo, com ele... e sempre essa palhaça de péssimo atendimento por todos os lados, né? bom saber que ele está melhor. pena que não entendo muito de gatos, mas dá uma conversada com a Sylvia do Cachorro Verde, Otávia. além de vet e super estudiosa, ela é mãe de gatos. boa sorte e se houver algo que eu possa fazer, grita! beijo.

    ResponderExcluir
  10. Sei bem o que é isso Otávia! Confiei em um "veterinário" certa vez e perdi minha Dianna! Graças a Deus que o Arthur está bem e isso não vai acontecer com ele. Hoje conto com uma boa clínica (24 hs), lá nunca aconteceu nada de mal com os meus. Sei que o tratamento é adequado, mas para nós, mães, nunca será o ideal em lugar nenhum do mundo. Conheço o tamanho do amor que você sente por esse animal (hoje prefiro chamá-los de animais mesmo, porque humanizá-los seria uma ofensa, para eles!) Torço confiante na melhora do Arthur e amanhã isso não vai passar de um susto. Beijos. ROSANE

    ResponderExcluir
  11. Só que ama sabe o que você fala nesse post !!!!

    Acredito que logo Arthur estará melhor , infelizmente algumas pessoas não entendem nossa relação com eles e se comportam de maneira repulsiva , e muitas vezes nem mesmo fazem direito seu trabalho , acho que gente assim deveria ser banido da profissão . Melhoras ao lindo !!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Otávia... lendo seu post agora, foi como se eu estivesse passado por tudo isso contigo e seu filhote, tbem sei o que é isso. A falta de amor de alguns desses que se dizem profissionais de alguma coisa, e que na vdd não sao nd. Fico feliz que Arthur, esse lindão esteja bem e brincando novamente. Mande noticias do Arthur logo. Beijos para os dois.
    www.gatocomkati.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Otávia Querida, nossa que história pesada!!!
    E que saco isso,né? Tb já passei por muitas situações absurdas como a tua, quando vai acabar? Obrigada pelo carinho, bjks Cecília.

    ResponderExcluir
  14. Já passei com algo parecido com minha gata,fiquei muito P. e pensei até em processar a clinica,mas pelo menos passou,o que ficou foi o trauma depois de muito carinho dedicação,enriquecimento ambiental e Feliway ela voltou a ser como antes...essas coisas são tão desesperadoras,lendo parece até que revivi o que aconteceu...mas o bom é que a Nany está feliz de novo e pelo jeito o Arthur também...por causa dela e dos meus estudos sobre enriquecimento ambiental criei um blog http://cozygatos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. OI Otávia, EU ENTENDO VOCÊ MUITO BEM ! tenho uma Rainha, minha filha Pitchuruka! e já passei horrores com "DROS.VETERINÁRIOS" Por eles ela já estava morta! Graças a Deus meu coração de mãe sempre falou mais alto, e ela saiu de situações que para eles seria impossivel!

    Aprendi muito em não deixar Dros. dominarem a situação, não é porque tem um diploma que sabem tudo não!

    eles não sabem o principal = Amor

    Dê muitos beijinhos na barriguinha desse menino Arthur por mim! e um grande abraço pra você!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.