10 de ago de 2011

Melissa - a "gata de raça"


O carro para. A mulher pergunta pro porteiro do meu prédio, quando ele vinha pro trabalho: Moço, conhece alguém que queira um gato de raça? Ele diz que não. Ela abre a porta do carro e joga fora uma gatinha de 5 meses de idade e vai embora. Ela ficou sem comer o dia inteiro, apanhando de outros gatos da rua.

Foi assim que conhecemos a Melissa hoje à noite.

Ganhei uma gatoeira - para o C.E.D - e eu e minha amiga resolvemos testá-la hoje com uns gatos em uma construção próxima a nossa residência.

A primeira gata que entrou estava lactante, então não poderíamos separá-la dos filhotes. Tentamos uma segunda que também não entrou na gaiola.

Já estávamos de volta à nossa rua quando vimos uma das gatas residentes de um terreno baldio e logo escutamos o barulho de briga. Ela estava toda arrepiada e atacando algo debaixo do carro.

E foi aí que vimos a Melissa, toda encolhidinha e miando, apavorada.

Colocamos a gatoeira e em poucos segundos ela entrou, faminta.

Amanhã iremos levá-la ao veterinário, dar um banho terapêutico e já começar com o tratamento para a sarna. Apesar de estar feio, não se espalhou pelo resto do corpo e provavelmente em 15 dias, com alimentação adequada e cuidados ela ficará bem melhor.

Nem precisamos dizer que estamos revoltadas. Só soubemos dessa estória quando voltamos para a rua e o porteiro nos viu com a gatoeira.

A Melissa é um amor de gatinha, ronrona super alto e pede carinho. Pelo seu estado dá para perceber que ela foi negligenciada até seu abandono. Sarna é uma doença oportunista, que aparece em animais que estão mal nutridos e tem acesso às ruas ou a outros animais vadios e demora para chegar a esse aspecto endurecido.

Ela tem pontos de sarna em suas orelhas, rosto, patinhas e a ponta do rabo está pelada.

O pior é que tudo isso poderia ter sido evitado se a pessoa ao menos se importasse. Tratamento de sarna é baseado em uma alimentação de qualidade, banhos para promover a higiene e terapeutica veterinária. Quando tratada no inicio é muito facil a cura completa e em poucos dias.

Além de negligenciá-la ainda a colocou nas ruas, onde ela poderia ter morrido, ou ter uma sobrevida, doente e, daqui a um mês, sendo mais uma gata parindo a cada 60 dias.


Melissa após a captura, na gatoeira
As orelhinhas de pedra


Morta de fome, atacou o pratinho de papinha


Complementamos com um pouco de Nan Soy para que ela não vomitasse depois de tanto tempo sem comer. Ela está extremamente magra e com um barrigão de vermes.


Que isso sirva de exemplo pra gente preconceituosa, que só dá valor a raça, mas mesmo os "animais de raça" - a Melissa é uma MESTIÇA, com muito orgulho - não estão salvos da crueldade e abandono. Nem mesmo os seus olhos azuis impediram que ela sofresse.

A RAÇA dela está no espirito, que não se deixou abater mesmo diante de tanta maldade.

E pra quem ainda é contra a castração, fica a realidade! A unica coisa que impede essas desgraças é a CASTRAÇÃO! Se a pessoa tivesse castrado a mãe dela e não a tivesse dado para esse MONSTRO nada disso teria acontecido.

Mas agora ela está conosco, a salvo. E mesmo sem saber como vamos pagar as contas dela, da Milla e da outra gatinha que minha amiga está cuidando, vamos dar um jeito! Todos os resgatos merecem um final feliz, mas a estória da Melissa foi desumana.


Se alguém quiser apadrinhá-la, agradecemos de coração.

Otávia Mello
BANCO DO BRASIL
Agência: 2954-8
Conta POUPANÇA - 26.820-8
Variação 1


3 comentários:

  1. Lamentável tudo isso! Infelizmente ainda existem inúmeros casos acontecendo a todo instante iguais ou piores que esse. Como vc disse uma vez sobre o Vitor, o anjo da guarda dela colocou-a em seu caminho e da sua amiga. Agora ela terá a chance de uma vida digna. Ela é muito linda!

    ResponderExcluir
  2. Ai meu coração!!!! Olha, tenho o caso do Luan aqui em casa, mesmo sendo de raça foi devolvido pelo comprador, trancafiado num quarto isolado do mundo, cheio de pulgas e maltratado... falta de humanidade não escolhe poder aquisitivo!
    Um abraço e obrigada por esta chance à pequena Melissa!

    ResponderExcluir
  3. Olha, chorei mesmo ao ler o relato da Melissa... Como um ser q se diz "racional" pode fazer isso com um animal tão indefeso??? Nessas horas eu tenho vergonha da minha raça, por isso eu acho os animais seres superiores. Eles amam sem distinção e sem preconceito. Mas graças a Deus pessoas boas como vc existem e são colocadas nas vidas desses bichinhos na hora certa. Sei como deve ser difícil arcar com tanta despesa, principalmente se tratando de tantos animais, mas lembre-se q Deus vê td o q vc faz e como diz na Bíblia em Hebreus "De modo algum te deixarei, de modo algum te abandonarei".

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.