3 de set de 2011

Vida indoor e enriquecimento ambiental

Quando meus pais decidiram se mudar para o apartamento e vender nossa antiga casa minha mãe decidiu também que não iria trazer nenhum dos gatos, quebrando assim a promessa que meu pai fez comigo de trazer ao menos o Charlie.

Na época, Guarda Responsável era uma coisa totalmente desconhecida, assim como os seus aspectos. Nossos gatos não eram castrados e extremamente mal educados, fazendo suas necessidades em qualquer canteiro disponível e se eu não pudesse retirar os dejetos no mesmo instante, logo o jardim ficava com aquele característico e desagradavel odor de fezes e urinas de gatos não castrados e com uma ração de supermercado de qualidade duvidosa. Não que a caixa de areia de gatos castrados e que comem ração super premium cheire a rosas, mas acho que todos concordam que não é algo tão terrível assim.

Minha mãe ficou com medo que o Charlie fosse se comportar no apartamento como era em nossa casa. Ficou com medo do meu pai recomeçar a trazer gatinhos. Hoje em dia, tendo colocado para trás a magoa que cultivei nos primeiros anos no apartamento, assim como a primeira crise de depressão sem a companhia dos meus animais, consigo compreender suas razões.

O preconceito quanto a ter um animal em apartamento fez com que o Arthur fosse obrigado a somente vir para cá quase depois de um ano de idade e por causa da agressão que sofreu. Minha mãe deixou claro que aquilo era temporário, mas depois ela confessou que estava esperando ele fazer algo errado. E o Arthur nunca o fez.

Grande parte do sucesso da adaptação do Arthur a uma vida indoor foram as informações que recolhi na internet desde que ele apareceu. Mesmo morando livre, o Arthur foi castrado aos 6 meses de idade ( ninguém iria querer um gato agressivo, urinando pela casa para demarcar territorio e gritando incessavelmente ao sentir o cheiro de uma gata no cio ) teve toda a sua imunização feita, assim como o controle de parasitas e somente se alimentava de ração ( fazendo com que nunca tivesse interesse por comida nas panelas ou tentasse atacar aquelas postas na mesa )

Além desses fatores, o enxoval adequado e o enriquecimento ambiental que desenvolvi para que a vida dele fosse feliz e sem necessidade ou "saudades da rua" foram essenciais para que ele seja um gato bem adaptado ao apartamento e exemplo real que animais adultos acostumados aos outdoors podem sim se tornar plenamente domésticos.


Arthur em seu primeiro dia como gato de apartamento,
dormindo em uma caminha improvisada – 22/11/2007

1- Proteção contra quedas = telas



É simples. Gatos são inconsequentes. E suicidas. Mesmo os gatos mais calmos irão se jogar ao infinito se forem atraidos por um inseto ou passaro alheios ao felino que mora ali dentro.

A gata que morava acima de mim, no terceiro andar, se jogou uma vez. Não era castrada e passava semanas gritando a busca do macho que nunca veio, até que, com o passar dos anos, cheia de tumores, foi finalmente esterilizada.

A sorte foi que eu estava la embaixo na hora e acabei conseguindo pegá-la depois que ela caiu e bateu na divisória de concreto da piscina. E quando interfonei para os donos ainda duvidaram que a coisa peluda e assustada em meus braços era realmente deles.

No prédio de trás uma gata se jogou duas vezes, do 7º andar. Na primeira vez quebrou a pata e partiu o queixo ao meio. Não contentes, os donos pagaram todos os custos da cirurgia e a levaram de volta para o apartamento não-telado. E a gata, assim que se recuperou, jogou-se mais uma vez. E não sobreviveu.

Não tenha gatos se você não está disposto a protegê-los. Seja no primeiro ou 10º andar.
O custo de telar o apartamento é minimo se considerarmos todos os acidentes que podem ocorrer. Não há como colocar preço em uma vida.

2- Escaladas

Gatos são caçadores e territoriais por natureza. Colocar-se a postos em um ponto alto é uma atividade comum a eles, para guarda e vigilia de territorio, além de monitorar possiveis presas proximas. A imagem de leões e guepardos em cima de morros de terra e cumpinzeiros e guepardos em arvores são costumeiras e que se repete nos gatos domesticos em cima de muros, telhados e arvores nos quintais.

Infelizmente esse instinto combinados a uma vida com acesso às ruas pode resultar em ferimentos, brigas e morte no cão do quintal vizinho.

O Arthur é o caso raro de um gato que não gostava muito de alturas. Raramente ele subia em uma mesa. Com o passar dos anos ele se tornou mais aventureiro e ano passado comecei a colocar prateleiras de MDF no meu quarto, de uma maneira que fosse possivel para ele se exercitar ao subir nelas.
Este ano consegui completar o set de passarelas.

O importante é que seja um design que tambem seja funcional para o quarto em si, materiais que não incomodem o gato e duraveis. O Arthur não é um gato que gosta de derrubar coisas, mas de vez em quando acidentes podem acontecer, já que ele tem 90cms, então optei por deixar as prateleiras mais livres.

O Arthur quase não se utilizava dos niveis mais altos a menos que fosse instigado, hoje em dia ele se diverte e pula em todos os niveis, sem nenhum medo :)


Arthur no primeiro dia de instalação das passarelas ( 10/2010 )


Arthur, o caçador ( 3/09/2011 )

Os arranhadores altos e cheios de tuneis e plataformas também são uma otima pedida para exercitar o gatinho domestico.

3- Jardim

A maioria dos gatos gosta de jardins. É uma maneira de exercitar os sentidos. A cada dia a terra e as plantas possuem um cheiro diferente, assim como novos insetos que podem aparecer por lá.
O primeiro passo ao fazer um jardim é verificar quais plantas melhor se adaptam a sua area e a toxidade das mesmas. Já tive que devolver plantas que o vendedor me garantiu serem seguras para crianças e animais e na verdade eram muito venenosas.

Infelizmente moro em um area proximo a praia onde há muito vento com partículas de sal que são prejudiciais a maioria das plantas, além de acaros que surgem por causa da umidade, destruindo as folhas e os botões das flores. Já gastei muito dinheiro tentando manter um jardim bonito, mas nunca dura mais que alguns meses. Sem falar que, pelo tamanho do Arthur, quando ele tenta andar pelos vasos, geralmente quebra as plantinhas, colaborando para sua morte precoce :P


A época mais bonita do nosso jardim ( 2010 )

Depois que voltei de viagem praticamente não temos mais jardim, a não ser pelo bonsai de Bugavilla que continua firme e forte - a imagem do blog :) - Espero conseguir ao menos mais mudas para o jardim do Arthur em breve.

4- Graminha

Por serem carnivoros, a necessidade dos gatos em relação a vegetais é minima, mas assim como todos os seres vivos eles tambem se beneficiam desses nutrientes.
Além de ser prazeiroso para alguns, a ingestão de folhas ajuda para casos de dor de estomago leves ou como indução ao vomito ou desconfortos causados por bolas de pelo.

O Arthur sentiu muita falta de capim quando veio para cá. Consegui até plantar nos primeiros meses brotos de alpiste, mas por algum motivo mais tarde as sementes sequer germinavam, então, para satisfazer a necessidade dele, juntamente para combater os problemas das bolas de pelo, ia procurar capins saudaveis, em locais limpos e sem acesso a outros animais, para levar para casa, lavar e oferecer a ele, que sempre comia com gosto. Ainda tentei plantar milho, mas ele não gostou ¬¬

Quando estava em Toronto uma das coisas que eu PRECISAVA obter eram sementes de broto de trigo, pois sabia que dificilmente um gato iria recusá-las. Fiquei impressionada com a qualidade das sementes e da velocidade com que os brotos nascem e se tornam tenros e como eles são re-aproveitaveis, desde que a terra seja de boa qualidade, recebam sol e agua.


os brotos de trigo de Toronto


5- Esconderijos

Novamente voltando a natureza dos felinos, entocar-se é um habito comum a eles, principalmente em areas extremas de calor e frio. Tigres escolhem tocas nas florestas indianas e nas congelantes areas da Siberia.

Leopardos, além de eximios escaladores, tambem mantém uma toca para descansar, geralmente proximo a agua corrente, onde é mais fresco. As tocas também são essenciais paras as femeas com filhotes novos, antes de apresentá-los ao bando, no caso das leoas, e antes de expo-los aos perigos da savana africana, como fazem os guepardos.

Geralmente nascidos em tocas e permanecendo nelas até o primeiro mês de vida antes de começarem a desvender o que há nos arredores, a maioria dos gatos se sentem confortavel em um espaço semelhante. Quem nunca esqueceu uma caixa, mala ou gaveta aberta apenas para se deparar com o gato confortavelmente deitado dentro dela? Aqui em casa, não podemos nos descuidar quanto a uma gaveta ou a porta do guarda-roupa aberto que o Arthur irá se enfiar lá. E antigamente, um de seus locais favoritos era uma caixa de papelão forrada com uma manta.



Por causa do seu tamanho é dificil encontrar uma toca que o caiba. Não encontrei nem mesmo em Toronto, mas felizmente um amigo que possui um petshop encomendou uma toquinha para cães que ficou perfeita para ele e imediatamente aprovada.

Vale lembrar que a criação indoor é a unica forma de manter seu animal plenamente seguro. Infelizmente não estamos em um país onde os animais são respeitados e tem sua integridade fisica protegida por duras leis. Alguém pode jogar carne com chumbinho por pura maldade em nosso quintal, o cão do vizinho pode ter sido treinado para matar gatos ou um motorista louco pode ter o macabro prazer de atropelá-los. Cabe a nós sermos responsáveis e zelosos com a vida que decidimos trazer ao nosso lado.

Gatos são animais extremamente adaptaveis e ao serem castrados se transformam em animais maravilhosos para apartamentos ou casas, sem necessidade de contato com o exterior.
É muito injusto que tantos animais adultos estejam à espera de um lar, quando a grande maioria deles aceita facilmente a vida domestica, não importando quantos anos eles já estiveram sob o abandono.
Tudo o que eles querem é uma família para chamar de sua e serem amados.


Arthur aproveitando a segurança e conforto de sua vida indoor

9 comentários:

  1. Muito legal, Otávia!!
    Eu tenho as tocas, as prateleiras e as telas (em absolutamente TODAS as janelas, depois da tragédia do Novak) - mas do jardim eu desisti! Plantei a graminha em dois canteiros e resultou que meus gatos pegaram fungos das plantas! Não entendo nada de plantas e não sei como mantê-las saudáveis, então desisti... :D

    ResponderExcluir
  2. Otávia! Este post é muito fofo e completíssimo! Parabéns!
    Ps.: O Arthur é muito sortudo!

    ResponderExcluir
  3. Post super legal e muito informativo !!!!

    Acho super importante essa conscientização

    pois quem ama cuida !!!!

    O Arthur é lindãO

    Boa semana !!!

    ResponderExcluir
  4. Otávia,
    Muito bom seus comentário sobre nossos filhotes, tenho 03 lindos, e eles amam broto de trigo, além de ajudar na digestão por causa dos pelos, os meus adoram alturas, tenho telas em meu apê, isso é muito importante.
    Gostei da caminha que tem na varanda, seráque consigo comprar aqui em Salvador?
    Abraços
    Clara.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post, muito informativo, aki em casa tb tive q adaptar algumas coisas para as gatas como aqueles arranhadores tipo casa com 2 andares e com toca....fora os vários brinquedos...e tela na janela é o principal para mante-los longe dos acidentes....já fiz essa graminha de trigo mas elas ignoraram....rsrs vou tentar aquela outra q é graminha dos gatos mesmo...seu gato é muito fofo!!
    Da uma passadinha no meu blog para conhecer minhas 3 pantufinhas...meu blog é novinho em folha! rsrs bjs!

    ResponderExcluir
  6. amei o blog, parabéns.
    eu estou no meu primeiro gato, sempre tive cães, e achava q matariam qualquer gato q passasse pelo meu portão, mas um verdadeiro milagre aconteceu quando meu marido chegou da rua com um gatinho muito doente, faminto e feio, com os olhos muito inflamados, e muito sujo.rapidamente corri pro pc, e encontrei uma receita de leite substituto, o alimentei, limpei, levei no vet e...a cadela prontamente o acolheu, e nós caimos de amor por ele. Hoje ele está castrado e linnnnnnndo. e gato vicia, eu já quero uma pra brincar com ele.

    ResponderExcluir
  7. Post perfeito, AMEI as prateleiras, to imaginando meus babies brincando nelas...
    Vou compartilhar, beijoo

    ResponderExcluir
  8. Ótimo post, bem informativo! Não tinha visto o Arthur ainda, ele é LINDO!
    Estou tentando improvisar algumas coisas para meu futuro bichano, mas até agora ele não se interessou por nada. Nem toca, caminha, brinquedo..., só entra, come, bebe água, afia as unhas no tapete e sai, às vezes deita no tapete um pouquinho mas questão de minutos. Infelizmente ainda não consigo fazê-lo ficar em casa, como minha casa é muito quente, fica impossível permanecer dentro dela com tudo fechado e a janela da cozinha é super fácil de sair. Espero que depois de castrado ele fique mais calmo, pois fico a noite toda pensando em onde diabos ele pode estar e se vai voltar na manhã seguinte!

    ResponderExcluir
  9. Entrei em busca de informação sobre a Bugavilla, e encontrei este gato lindo! Amei essa página!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.