14 de jan de 2012

Como identificar um protetor sério

Essa semana, o Brasil inteiro ficou horrorizado com a falsa protetora em SP que assassinava os animais que deveria cuidar.

Todo mundo que lida com proteção animal sabe o quanto é IMPOSSÍVEL receber a quantidade de animais que essa pessoa recebia e doá-los com qualidade e na mesma velocidade que ela afirmava.

Quem me conhece e acompanhou meus resgates aqui pelo blog sabe que doação responsável leva tempo, dinheiro e dedicação.
Castrar, vacinar, vermifugar, alimentação de qualidade, consultas veterinárias e em alguns casos, reabilitação emocional, não é coisa de um dia para o outro.

Entregar o bicho para o primeiro que aparecer é a coisa mais fácil do mundo e quanto mais casos desses vejo - aqui mesmo na minha cidade - fico me perguntando como as pessoas dormem à noite.

O pior é que, além dos irresponsáveis que abandonaram esses animais com essa mulher apenas por comodidade, infelizmente um grande número de pessoas também deve ter sido enganada e colaborado para essa situação horrível.

Existem pessoas que querem ajudar bichos abandonados e acabam financiando verdadeiros campos de concentração, sem saber. Este e alguns casos até podem vir à tona, mas um grande número de animais são vitimados todos os dias por colecionadores ou gente louca mesmo, financiado pelo dinheiro de terceiros.

Então aqui vai algumas dicas para você, que quer ajudar animais, saber o que esperar de um cuidador sério e não ser enganado por colecionadores ou pessoas inescrupulosas


1- PESQUISE


Pedidos de ajuda são compartilhados milhares de centenas de vezes todos os dias pela internet, advindos de Ongs ( apenas o registro nos orgãos competentes pode legitimar uma Organização Não-Governamental ), grupos de resgate ou protetores independentes, que recolheram um cão, uma ninhada abandonada, etc.

Pesquise sobre o grupo, sobre a pessoa, peça referências. Se o trabalho for honesto, não será difícil encontrar informações. No caso de protetores independentes, apenas ajude se tiver referencias reais ou conhecer pessoalmente, para aumentar a segurança.

Vale sempre lembrar que protetores sérios priorizam a castração e NUNCA doam um animal inteiro. Isso, na minha opinião, é o motivo de desconfiança número 1.




Desconfie de excessos! Ninguém em sua sã consciencia se oferece para aceitar e cuidar de animais abandonados em sua casa. É aí que se escondem colecionadores, pessoas que vendem ou sacrificam animais para rituais e outros terríveis fins.

Protetores sérios não fazem de resgates e doações uma profissão.

2- FOTOS



As fotos e/ou videos sobre o caso devem ser recentes e bem tiradas e devem ser frequentes durante o cuidado com o animal, não somente como prova de que as doações estão sendo devidamente usadas, mas também como um registro da evolução do bichinho, em caso de maus-tratos ou doenças e as condições do local onde ele está morando.

Sou totalmente contra pessoas que põem fotos de animais estrupiados, sangrando ou apelam para este nível de comoção. Isso de nada adianta, apenas afasta e entristece aqueles que realmente se importam.

Foto após procedimentos cirúrgicos também são bem-vindas, para provar, por exemplo, que o bichinho foi castrado. ( Lembram da Milla, que uma adotante maluca não acreditava que ela tinha sido esterilizada? :P )

3- PRESTAÇÃO DE CONTAS


Acredito que este é o ponto mais importante para confiar em alguém que está cuidando de um animal com doações. TUDO que envolva o dinheiro alheio deve ser comprovado, detalhadamente, para todos os fins, durante todo o período que o cão ou gato for custeado por terceiros.

Pergunte sobre o tipo de ração que o animal está recebendo, existem pessoas que pedem ajuda de custo para ração Premium e na verdade oferece um alimento de baixa qualidade a animais já debilitados. O protetor sério também irá mostrar a carteira de vacinação do bichinho, comprovando as vacinas que ele recebeu.

Se for possível, ao invés de doações monetárias, dê diretamente à pessoa o saquinho de ração ou de areia, deixe já pago na clinica a castração ou vacinas.

E, uma dica, nunca doe sem antes o animal estiver nas mãos da pessoa que pede ajuda. Já vi casos de pessoas que pediram doações para castrar e vacinar um animal - que foi doado totalmente fora dos padrões da doação responsável - e o adotante simplesmente deu sumiço nele. Isso pega MUITO mal, não somente para os envolvidos - que não devolveram o dinheiro - mas também é um péssimo exemplo para próximos pedidos de ajuda por parte de protetores sérios, que ficam marcados pela irresponsabilidade de amadores.

4- CUIDADOS VETERINÁRIOS




A pessoa que pede ajuda deve deixar claro onde e por quem o animal será atendido, com telefone, endereço e CRMV do veterinário responsável. Se possível telefone ou vá até a clinica e até mesmo conheça o animalzinho que estiver internado.

Já soube de casos em que a pessoa recebeu o valor de serviços veterinários e fizeram tratamentos caseiros, ou pior, sequer levaram o animal para ser devidamente atendido.

5- VISITAS

Estando o animal em sua cidade, não há motivos para que a pessoa responsável negue uma visita para conhecê-lo. Ao visitar o local, preste atenção nas condições de higiene, nas condições de outros animais na casa e se houver algum bichinho doente, se estão devidamente isolados.

Também procure pelos potes de ração e se há agua fresca disponível.

*****

Compreendo que muitas pessoas não podem ou preferem não meter a mão na massa, mesmo apoiando a proteção animal.

Infelizmente nos dias de hoje não é somente doar, mas doar com responsabilidade, para organizações e pessoas idôneas, para que sua confiança e sua doação possam realmente beneficiar aquele bichinho que você escolheu ajudar.

Gostaria também de agradecer por cada moedinha que já foi enviada aos meus animais, não somente pelo valor, mas pelo privilegio de ser digna da confiança de vocês.

Sou muitíssimo grata a cada um que já ajudou meus resgatos e agora ajuda os Felinos Urbanos.

Ficam aqui minha profunda tristeza e revolta, como mãe e protetora, por todas as vidas que foram roubadas estupidamente, não somente pelo monstro, mas por todos os cúmplices que abandonaram estes animais em suas mãos.



"Confie apenas em ações.
A vida acontece em eventos, não em palavras.
Confie nas ações."

Alfred Adler

5 comentários:

  1. Vc está muito certa em falar em cumplicidade: existe a pessoa que entrega um cão ou gato a um abrigo ou lar temporário e acompanha sua evolução até a adoção, e existe o descarte do animal num abrigo, sem saber mais nada de seu destino. Quem deixou animais lá e jamais voltou os descartou, forneceu material para que essa insana prosseguisse. Atenção, minha gente, protetor de verdade não tem medo de mostrar todo o acompanhamento do animal. E desconfiem sempre de protetor profissional, que parece viver dos bichos que abriga.

    ResponderExcluir
  2. Acho que algumas pessoas preferem fingir que o problema não é dela, e que não estão vendo o que acontece, daí não se informar. Lamento que um monstro desses fique tanto tempo agindo e que sua penalidade seja tão pequena.

    ResponderExcluir
  3. Amei o post ! Parabéns pelo trabalho e q Deus a abençoe !!

    Lambeijos =^.^=

    Dayvilla

    ResponderExcluir
  4. Mto bom esse texto. Concordo com tudo o que disseste e é exatamente isso que procuro antes de ajudar uma ong ou protetor. Conheço vários protetores e ajudo algumas ongs, mas sempre se tem que ter cuidado, pois o resultado final sempre tem de ser o bem-estar animal.
    bjs,
    Denise

    ResponderExcluir
  5. Linda página e muito esclarecedora a matéria! Sou protetora independente e mãe de 9 gatinhos (a mais velha foi resgatada de um bueiro quando ainda cabia na palma da minha mão e está comigo há 15 anos e o mais novo, com cerca de 3 meses, veio pra casa sexta, dia 13/01/12). Excluindo este último, todos os meus bebês são castrados e NENHUM deles sai na rua (minha casa é toda telada). Adoção é isso, minha gente: compromisso pra vida toda! Abraços carinhosos!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.