17 de jul de 2012

Vacinação e os cuidados necessários


O protocolo vacinal para cães e gatos mudou nos ultimos anos. 

Infelizmente ainda hoje muitos donos apenas levam o bicho ao consultorio para as vacinas anuais, exigindo a aplicação de 2 ou mais, em um mesmo dia. E alguns veterinários, com medo de perder o cliente, arriscam a vida do animal com reações adversas. 

Vacinas, apesar de serem feitas para proteger o animal de doenças, ainda são elementos estranhos  em seus corpos e por isso, reações podem ocorrer. Neste caso, uma dose unica de vacina naquele dia, pode ajudar o dono e o veterinario a lidar com reações mais sérias, como taquicardia e apneia, ao saber quais elementos combater nos cuidados emergenciais. A aplicação multipla pode, além de piorar consideravelmente o quadro, impedir que a medicação contra a reação adversa seja eficiente, levando o animal a obito. 

Indo ao veterinário? Do que um gato tem que ter medo?

Quando falamos de vacinação em gatos, temos que ser ainda mais cautelosos, já que eles são propensos a carcinomas vacinais ( cancer ) nos locais da aplicação, podendo até mesmo perder um dos membros. 

carcinoma vacinal 

Outro problema para os gatos são as campanhas de vacinação anti-rabica gratuitas. 
A maioria dos donos que opta pela vacina gratuita não os coloca em transporte apropriado, causando stress desde o primeiro momento. Aliado a manipulação de estranhos, o desconforto da furada, a proximidade com cães latindo, barulho, trafego, etc, resulta em várias fugas e acidentes em dias de vacinação pelo manejo incorreto. 

caixa de transporte é um item essencial para donos de gatos


Além disso, as pessoas que aplicam as vacinas não são veterinários formados. Podem errar o local e o grau de força para a aplicação correta ( a maioria das pessoas não sabe conter corretamente um gato estressado ) e não respeitarem a forma adequada de armazenamento ( a vacina perde o efeito se não for mantida permanentemente resfriada ) , resultando em casos de animais que adquirem a doença mesmo sendo vacinados, como já aconteceu em minha cidade. 

Todos os meus animais para adoção e o Arthur sempre foram vacinados com vacinas éticas, aplicadas por veterinários e importadas, em consultórios fechados, ambiente tranquilo ou a domicilio. Mais do que um custo, a vacina ética é um retorno seguro na saúde do bichinho. 


Quer saber mais sobre reações adversas por vacinação? Leia aqui - http://www.maedecachorro.com.br/2012/07/meu-cachorrogato-passou-mal-aps-tomar-vacina-e-agora.html

O protocolo vacinal para o gatinho em questão deve levar em consideração se ele é um animal que será encaminhado para adoção ou um membro permanente da familia. 

No caso de animais para adoção, a vacinação fica em segundo plano. 
O mais importante é a castração. 
Após ser castrado, com uma semana de recuperação da cirurgia, pode-se começar o protocolo. 
No caso de filhotes com menos de 4 meses, comece com a 1º dose da vacina multipla. 
Com 30 dias, faça a segunda dose. 

Com filhotes com mais de 4 meses, 1 semana após a segunda dose multipla, realiza-se a vacinação anual anti-rabica. Vale lembrar que antes dos 4 meses essa vacina não faz efeito nos filhotes. 

Em outros países há veterinários que optam pela vacinação no mesmo dia da castração para animais que serão encaminhados para adoção ou para animais de C.E.D, aproveitando a pequena baixa de imunidade causada pela cirurgia, para não deprimir o organismo do animal novamente mais tarde. No Brasil já existem médicos que também seguem este protocolo para animais a serem doados. 

Para adultos, é necessário somente uma dose multipla e uma dose de raiva anualmente. 

Se o gatinho é seu, sem acesso à rua e a outros gatos não-castrados, pode-se esperar até o esquema vacinal do primeiro ano estar completo ( 2 doses multiplas + anual de raiva ), mas se o filhote tiver mais de 4 meses, a castração deve também ser uma prioridade, pois comportamento sexual precoce aos 5 meses não é raridade. Nestes casos é melhor atrasar a vacinação do que arriscar uma fuga ou prenhez indesejada. 

O protocolo diferenciado de vacinação também é mais uma opção benefica para a saúde dos animais.
Sua premissa é a vacinação de cães e gatos a partir de suas particularidades, como, estilo de vida 
( criação indoor ou com acesso à rua, outros animais, etc ), idade, doenças a quais ele REALMENTE precisa ser protegido e estipular um esquema vacinal que imunize o animal, sem expo-lo a riscos desnecessários por conta da supervacinação ( doses anuais e vitalicias de vacina ). 

o protocolo vacinal diferenciado respeita as particularidades e necessidades do individuo :)

Em resumo, as vacinas continuam sendo a forma mais eficaz de proteger seu cão ou gato de doenças sérias e fatais, mas o esquema vacinal deve ser feito com responsabilidade, ser mais do que uma obrigação anual com o veterinário, mas uma preocupação constante e que deve ser questionada e atualizada diante de diferentes etapas da vida daquele bichinho. 

Quer saber mais sobre supervacinação e protocolo diferenciado de vacinas? 
Dê uma lida nos links abaixo:



2 comentários:

  1. Parabéns!!!! Sempre bom compartilhar informação útil.

    ResponderExcluir
  2. Muito importante mesmo essa informação.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.